Mentoring

O mentoring tem no mentor o seu principal agente…

Mentores são pessoas que fornecem seus conhecimentos para pessoas menos experientes, a fim de ajudá-las a progredir nas suas carreiras, melhorar a sua educação e construir networking.

 O que o mentoring faz?

Um mentor age como uma espécie de catalizador capaz de ajudar em nossas ideias ou planos que podem afetar nossas vidas e carreira. Em outras palavras, o mentoring promove o desenvolvimento de relações que beneficiam tanto o mentor quanto o pupilo.

Nesse sentido, o mentor fornece conselhos, informações e orientações para o aprendiz. O mentor, por outro lado, tem a satisfação de estar ajudando e de aproveitar a oportunidade de investir na vida dos outros e contribuir para as metas e aspirações futuras daquele que é orientado.

Para que essa finalidade de mútuos benefícios seja atingida, os mentores devem estar comprometidos, focados e devem ser visionários. Por outro lado, o orientado deve estar comprometido com a gestão do desenvolvimento de sua carreira. Dentre os benefícios que um bom programa de mentoring pode gerar para o assistido, podemos citar:

  • Direção;
  • Validação;
  • Motivação;
  • Encorajamento.

O programa é considerado eficaz quando as metas e os objetivos do pupilo estão estabelecidos claramente desde o início. Estabelecer objetivos claros irá ajudar ambas as partes a maximizar os benefícios potenciais que podem se desenvolver a partir da relação de mentoring.

Talvez você tenha notado que não estou falando de algo novo, certo? Certíssimo, mas quais são as qualidades que um mentor ideal deve ter?

 Qualidades do mentor ideal

No mentoring, o tutor ideal deve: ter bom humor, agir com entusiasmo, ser inspirado, se posicionar como um solucionador de problemas, ser solidário, ter experiência e competência, ter criatividade, apresentar boa capacidade de comunicação e habilidades interpessoais, possuir boa capacidade de fazer parceiros, ser capaz de resolver conflitos, ser um exímio gerente do seu tempo, saber priorizar e estabelecer metas, planos de ação e elaborar relatórios, além de ser, preferencialmente, “politicamente” bem posicionado no contexto atual.

 Qual é a diferença entre mentoring e coaching?

Muitas vezes, é possível ouvir os termos coaching e mentoring usados ​​alternadamente num contexto de desenvolvimento pessoal e organizacional, certo?

Isso é verdade, mas onde quer que estes termos sejam usados​​, o sucesso dessas abordagens de desenvolvimento depende de muitos fatores, não menos importantes, como a cultura organizacional, as competências individuais do mentor ou do coach, e a ênfase que é colocada sobre a aprendizagem e o desenvolvimento no contexto organizacional.

É muito importante ser claro quanto ao objetivo da aprendizagem do indivíduo, a fim de escolher a abordagem certa. O uso de qualquer abordagem tem, no entanto, regras específicas básicas, particularmente de confidencialidade.

Enquanto mentores podem usar as mesmas habilidades e ferramentas em sua abordagem para a tutoria, a relação entre um mentor e um ‘aprendiz’ é diferente da relação que se desenvolverá em um relacionamento de coaching. Mentores podem ser mais diretos e podem fornecer aconselhamento específico quando necessário. De outro lado, um coach não iria oferecer o seu próprio conselho ou opinião, mas ajudar o indivíduo a encontrar a sua própria solução.

O coaching pode ajudar se um indivíduo reconhece que ele precisa de ajuda para se desenvolver pessoalmente, seja para atingir de uma forma mais eficaz os objetivos pessoais ou de trabalho, ou para melhor lidar com questões de trabalho atuais.

Um coach irá ajudar através do desafio e do incentivo, ao invés de ser direto, e partir para aconselhamentos ou ensino. Coaching é uma parceria que ajuda o trabalho individual. O que as pessoas precisam fazer para melhorar a si mesmas e, no processo, o que as motiva e o que está em seu caminho (atitudes, preconceitos, mitos e suposições).

É importante ressaltar que o coaching pode ajudar as pessoas a desenvolver as suas competências em liderança, auto-gestão e de aprendizagem, e aumentar a resistência e autoconsciência. Isso pode melhorar a confiança e a capacidade de liderança.

O coaching pode ajudar a equipe a desenvolver empatia pelos outros, ver a “foto” com mais clareza, e considerar as questões que eles podem ter ignorado ou não conseguiram identificar como importantes, além de aprender a trabalhar de forma mais eficaz com os outros. No entanto, como eu disse, o coaching não é direto. Ele não se oferece ou realiza quaisquer soluções diretas.

Mas e o mentoring?

O mentoring é como um relacionamento entre dois colegas, em que o colega mais experiente usa seu maior conhecimento e compreensão do trabalho ou local de trabalho para apoiar o desenvolvimento do colega menos experiente.

Um mentor pode, talvez, ajudar uma pessoa se eles valorizam a entrada de alguém mais experiente ou com experiência em um campo particular – por exemplo, gestão de projetos, liderança ou financiamento. Muitas organizações usam o mentoring quando algumas certas pessoas alcançar um papel de liderança mais alto e pela primeira vez, ou talvez, quando as pessoas migram de um projeto para outro e há necessidade de assimilar rapidamente as diferentes habilidades e formas de trabalho necessárias para realizar efetivamente na nova função.

 Mentoring Reversa

Há ainda uma inusitada forma de mentoring que é a mentoring reversa…

Tente responder a seguinte questão: o que a alta gerência da uma empresa tem que aprender com as pessoas mais jovens que estão na folha de pagamento?

A pergunta parece estranha quando a forma mais tradicional de mentoring, como vimos, é quando alguém mais experiente ajuda alguém mais novo na área. No entanto, os mais novos têm muita coisa a ensinar aos mais velhos…

As pessoas mais jovens em sua organização normalmente cresceram usando a internet – na verdade, elas não sabem viver sem a internet. Ora, porque os gestores mais antigos não podem se beneficiar desta experiência?

Os jovens que acabaram de entrar no mercado de trabalho trazem com eles muitas habilidades que os gerentes mais velhos e supervisores não têm. Os trabalhadores mais jovens têm uma nova perspectiva sobre o seu trabalho e sobre a empresa como um todo. Eles têm gigabytes de computador e conhecimentos de base tecnológica, mas isso não é tudo.

Uma forma particularmente útil para que os jovens trabalhadores orientem seus gerentes experientes e supervisores é na, por exemplo, na percepção do local de trabalho. Muitas vezes, um novo funcionário é capaz de ver as coisas com mais clareza, sem o filtro de anos de experiência, o que às vezes pode obscurecer a verdade.

Parece bem legal, não?

Mas nem tudo são flores… A questão desafiadora em mentoring reverso é o fator ego. Muitos funcionários seniores não gostam da ideia de aprender com os recém-chegados, apesar de o valor dessa troca de conhecimento para a organização como um todo ser enorme.

O fato é que o sucesso do mentoring reverso requer um planejamento cuidadoso, mas os benefícios podem ser muitos…

Como vimos, o mentoring é uma importante ferramenta de apoio aos menos experientes, que podem se utilizar do apoio dos seniores para aprender a lidar com as mais diversas situações. Isso tudo pode fazer com que toda a empresa vai se beneficie dessa troca e alcance patamares mais arrijados, combinando a experiência dos mais velhos com a coragem e a energia dos mais novos.

Mentoring
11 votos

Termos

  • assimulacao de mentoring

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *